sexta-feira, 18 de outubro de 2013

O SIMBOLISMO DA DOENÇA no dia do médico.





Para a ciência:
Simboliza apenas sofrimento.
Para a Espiritualidade:
Cada tipo e sua respectiva localização é recado claro dos desajustes em andamento, como: auto-sabotagem, carência afetiva, preocupação, ansiedade, medos, temores, tristeza, depressão, frustração, culpa, fuga etc.
Alguns simbolismos costumam repetir-se em muitas pessoas.
Porém, por sermos únicos, cada doença é um recado especial e particular; dessa forma cada um de nós tem o dever de observar-se para progredir e curar-se, ativa e definitivamente.
A doença é transformadora.
Ao mesmo tempo em que mostra; ajuda a corrigir defeitos de caráter.
Determinada doença aponta a intolerância deste; outra o orgulho daquele; outras mais, mostram a impaciência; a irritabilidade; a inveja; a ira; a suscetibilidade e a mágoa de vários outros, etc.
Ainda necessitamos desse tipo de ajuda para nos mantermos vivos; pois a tendência ao suicídio inconsciente é forte, e a moléstia atua como um freio para nos alertar e estimular á reflexão.
É como se a Natureza estivesse amorosamente dizendo: não coma desse jeito! Olha a gula! Não beba! Não fume! Cuidado com o estresse, a ganância, a inveja, o medo etc.
 Muitas outras são as finalidades:
Recicla objetivos da vida.
Atualiza o cronograma existencial.
Propicia oportunidades de observar a vida pelo ângulo das conquistas internas.
Desenvolve maturidade para que a saúde não seja valorizada somente através da doença.
Como o desemprego serve para se dar valor ao emprego.
E a solidão à solidariedade, pois o homem solidário jamais se encontra solitário etc.
        
         Complicada a descoberta de que apenas continuamos vivos graças ás nossas doenças...
Fonte: Saúde ou doença a escolha é sua

terça-feira, 15 de outubro de 2013

A Flor de Lótus e os seus significados






Flores de lótus são influentes em culturas ao redor do mundo desde os tempos antigos até a atualidade, desde o Egito e Índia antigos assim como por toda a Ásia. Elas foram associadas com a alma humana, deuses e deusas e apareceram em histórias e lendas. 

O significado de uma flor de lótus vai de pureza divina e iluminação, como no Budismo, prosperidade, como no Hinduísmo, e renascimento, na religião do Egito Antigo. Muitos dos significados antigos ainda estão em voga na atualidade.

No Egito Antigo:

Os egípcios usavam a flor de lótus para simbolizar o sol, o renascimento e também era símbolo do Alto Egito. Há três lendas sobre a criação que compartilham similaridades, nas quais o simbolismo da flor é expressado. Em uma das lendas, o sol nasce de uma flor de lótus que cresceu em uma inundação. A próxima lenda, originada de Heliopolis, fala que do oceano infinito de Nun, uma lótus cresceu junto a um monte de terra.

 A lótus floresceu e revelou o deus sol Aton. A terceira lenda, que sai de Hermopolis, difere-se da segunda lenda apenas por dizer que foi o deus Rá que saiu da lótus. Na escrita, a flor era usada para representar números. Uma lótus equivalia a 1.000, enquanto um caule com duas flores de lótus equivalia a 2.000.






No Budismo:

 No budismo, flores de lótus significavam pureza da fala, da mente e do corpo elevando-se das águas do desejo e do apego. A lótus é um dos oito símbolos auspiciosos. Cores diferentes de lótus são simbolicamente usadas para representar aspectos da perfeição. Há quatro cores, que são rosa, azul, vermelho e branco. 

Vermelho representa o coração - sua pureza, natureza original, compaixão, paixão, amor e outras qualidades. Branco simboliza perfeição espiritual e total pureza mental. Rosa representa o Buda e é a lótus suprema. Azul significa sabedoria, conhecimento e vitória sobre os sentidos.




No Hinduísmo:

As lótus no hinduísmo simbolizam prosperidade, beleza, fertilidade, eternidade e juventude sem fim. Como no budismo, também significa pureza e divindade. Uma lótus também é utilizada analogicamente para demonstrar qual deve ser o estilo de vida das pessoas.


 O Bhagavad Gita no capítulo 5, verso 1, mostra precisamente isto, com a citação: "Alguém que cumpre com seu dever sem apego, rendendo os resultados ao senhor supremo, não é afetado por ações pecaminosas, como a pétala da lótus é intocada pela água." Flores de lótus também usadas para representar chakras, ou os centros de energia do corpo.

Escrito por joan reinbold Traduzido por isadora f. carvalho
 
Leia mais na Fonte:www.ehow.com.br

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

CROMOTERAPIA E MANDALAS Reduza a ansiedade e ganhe coragem com a visualização de cores

 
Exemplo de mandala
Você deve conhecer a Cromoterapia, terapia na qual se usa a cor para estabelecer o equilíbrio e a harmonia do corpo, da mente e das emoções. Mas o que talvez não saiba é que pode utilizar toda a energia das cores no desenho de uma mandala.
Mandala é uma palavra sânscrita que significa círculo. Cada mandala cria um campo de energia e magnetismo intenso, no qual trabalhando as cores podemos buscar autoconhecimento, bem-estar, equilíbrio e relaxamento.
Se observamos ao nosso redor, podemos encontrar mandalas em todos os lugares, nas flores, nas conchas, nas estrelas, em frutas como um kiwi ou uma laranja por exemplo. Faça um exercício e observe tudo ao seu redor, as formas mandálicas estão em todos os lugares.
No Oriente os tibetanos acreditam que a mandala traz o conhecimento para se chegar a iluminação nesta vida. Já a cor representa um estado de espírito e traz para o indivíduo um significado para aquele momento de sua vida.

QUAIS CORES VOCÊ PRECISA EM SEU MOMENTO ATUAL?

Muitos estados emocionais são demostrados nas cores de uma mandala"Muitos estados emocionais são demostrados nas cores de uma mandala" , pelo trabalho de observação, meditação ou na pintura da própria mandala. Trazemos para a nossa consciência respostas aos nossos questionamentos ou aquietamos nossa mente, melhorando assim estados de ansiedade e estresse.
E como conseguir uma mandala ou mesmo desenhá-la e saber quais cores você está precisando no seu momento de vida atual? Você pode aprender a desenhar e pintar uma mandala através de um curso, procurar imagens de mandalas em livros ou sites na internet ou comprá-las em lojas de produtos indianos ou esotéricos.
A forma de colorí-la fica por sua conta: com lápis de cor, canetas coloridas, giz de cera ou até mesmo em softwares de computador, se você tiver habilidade para isso. Você vai perceber que é como virar criança de novo, brincando com formas e cores.
Se você comprou a mandala ou a criou, observe os significados das cores que chamaram sua atenção no momento da compra ou que utilizou para colori-la:
  • Vermelho- é estimulante, afasta a depressão, tira o desânimo. É a cor das conquistas, das paixões e da sexualidade. Quando a cor vermelha está numa mandala, ela precisa ser bem usada, pois pode tirar o sono ou deixar a pessoa irritada.
  • Amarelo- é ativadora e dinâmica, age sobre os processos mentais. O amarelo afasta as ideias fixas e aumenta a capacidade de raciocínio. É a cor da inteligência, do estudo e da criatividade.
  • Laranja- é restauradora e regeneradora, traz recuperação depois de um processo destrutivo e a capacidade de refazer o que não está certo. É a cor da coragem, da reconstrução e da melhora.
  • Verde- é calmante e equilibradora. O verde melhora qualquer estado físico negativo e energiza o corpo e a alma. Quando uma mandala tem a cor verde, suas vibrações são sempre energizadoras e, seja em que nível for, ela é benéfica para todos.
  • Azul - traz equlíbrio, paciência, harmonia e serenidade, tranquiliza o corpo e a mente. Ajuda nos casos de insônia e estresse.
  • Índigo - trabalha o equilíbrio energético, intuição, proteção, limpeza e purificação de ambientes.
  • Violeta ou Lilás- é profundamente espiritual, mística e religiosa. O violeta atua sobre quem está espiritualmente desequilibrado, descrente e sem conexão com as forças divinas. Quando uma mandala tem a cor violeta ou lilás, ela limpa e isola os ambientes em que está.
  • Rosa- trabalha afetividade, amor, harmonia, união, ajuda no equilíbrio dos relacionamentos pessoais e profissionais.
Quais os benefícios que uma mandala pode trazer? Como você viu acima,são muitos, dependendo das cores escolhidas: capacidade de concentração, criatividade, diminuição da ansiedade e do estresse, equilíbrio físico e emocional, melhora da autoestima, dentre outros.
Fonte : Personare

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

4 Dicas para respirar corretamente na corrida

corredor sem fôlego

Já não é a primeira vez que aqui digo como é importante aprender a respirar corretamente enquanto se corre. É certo que o sucesso na corrida está dependente do treino das pernas, mas aplicar algumas técnicas de respiração corretas pode também contribuir significativamente para a nossa abilidade em correr melhor. Se conseguirmos inalar muito oxigénio sem comprometer a nossa eficácia de corrida, teremos uma grande vantagem face a outros corredores que lutam por respirar corretamente.

Quando ficamos sem fôlego

É normal por vezes sentirmo-nos com falta de ar quando estamos a correr. O nosso corpo depende de oxigénio para trabalhar e os nossos músculos vão precisar de ainda mais oxigénio quando estiverem a praticar uma atividade física mais intensa. Quando estamos a correr, o nosso corpo tem que fornecer constantemente oxigénio aos músculos, para que eles possam ter energia e providenciar a força necessária para correr. Assim, os nossos pulmões têm que trabalhar mais para absorver mais oxigénio do ar e é por esta razão que muitas vezes nos sentimos com falta de ar enquanto corremos.
Se quiserem testar os limites do vosso sistema respiratório enquanto correm, há um teste fácil que podem fazer e que se apelidou do “teste da conversa”. Comecem por correr num ritmo que vos permite respirar facilmente. Neste ritmo deverão ser capazes de conversar confortavelmente com os vossos companheiros de corrida. Depois, tentem correr um pouco mais rápido e voltar à conversa. Quando não conseguirem manter uma conversa de forma fácil e confortável, provavelmente quer dizer que vão depressa demais.

Técnicas de corrida simples

Se forem capazes de respirar de forma adequada à vossa corrida, poderão melhorar a vossa resistência e correr distâncias maiores. As técnicas de respiração certas vão ajudar o vosso corpo a entregar oxigénio aos músculos de forma mais eficiente, o que vai fazer com que se sintam mais confortáveis a correr. Eis algumas dessas dicas:

1. Respirar pela boca

Em circunstâncias normais é natural que se respire pelo nariz. No entanto, quando estamos a correr, provavelmente todos usamos a boca para respirar. Se respirarem de forma confortável pela boca, conseguem inspirar maiores quantidades de oxigénio, bem como libertar mais di+oxido de carbono. Esta é a melhor forma de inspirar quantidades suficientes de oxigénio para os nossos músculos.

2. Respiração abdominal… com a barriga, sim!

Quando estamos a correr não devemos respirar com o peito. Para introduzir mais oxigénio no nosso sistema, temos que aprender a respirar “com a barriga”, ou de outra forma, aprender a fazer respiração abdominal. Podem-se deitar e experimentar respirar com a barriga quando estiverem em casa (inspirem e inchem barriga, expirem e vazem a barriga – usem uma mão em cima da barriga e outra no peito e a mão do peito não pode subir ou descer) e depois aplicar a técnica durante a corrida.

3. Respiração curta e superficial

A melhor forma de respirar enquanto se corre é fazer respiração curta e superficial. Não vão conseguir correr muito longe se estiverem constantemente a respirar de forma profunda e prolongada. No entanto, se sentirem dificuldades a respirar enquanto sobem, por exemplo, uma encosta íngreme, algumas respirações longas podem ajudar a recuperar o ritmo respiratório.

4. Respirar com ritmo

É importante respirar ao ritmo da corrida. Esta é uma das principais dificuldades que eu vejo nos iniciados que começam a dar os primeiros passos de corrida e, talvez, um dos mais importantes. Devem inspirar e expirar a um ritmo consistente, não importa se estão a correr rápido ou lentos. Uma forma de verificar se estão a respirar ao ritmo da corrida é contar os passos que dão enquanto correm e inspirar/expirar em cada 2 passos ou até mesmo 2 passos.

Fonte: FitDay

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Ioga: união de corpo e mente

No Ocidente, a maioria das pessoas conhece o ioga como um conjunto de posturas físicas exóticas, que traz inúmeros benefícios para a coluna e para a respiração. Mas não é só isso. Trata-se de um método educacional completo para a vida, que propõe práticas de valores éticos, virtudes mentais, posturas físicas e meditação, fornecendo elementos consistentes para que a pessoa construa sua vida com mais presença e qualidade.

Ioga: união de corpo e mente
A palavra Yoga, de origem sânscrita, tem um grande número de significados, entre eles: “ungir”, “atar”, “integrar”. Ela deriva da raiz sânscrita yuj que quer dizer “unir”.
Os ásanas (posturas físicas) são uma das principais ferramentas do ioga e seus benefícios vão do nível físico ao espiritual.

Ásanas são posturas corporais com total envolvimento da mente, da respiração, do corpo e da essência, pelas quais se estabelece uma comunicação entre os âmbitos interno e externo do individuo, sendo por isso considerada uma prática holística / integral.
Segundo o pensamento yogue, o corpo é o nosso “instrumento de ação”, e a mente nosso “instrumento de percepção”. Quando nossos instrumentos estão em afinados, cuidados, sadios e em harmonia, gozamos de boa vitalidade e inteligência.
Uma das propostas do ioga é aprimorar e refinar esses instrumentos, pois um corpo saudável e uma mente livre e focada potencializa nossa capacidade de realização na vida. A palavra ásana (postura / atitude) define a parte física do método. O que confere um caráter especial à técnica é o perfeito sincronismo entre ação física, ação respiratória, concentração, presença e introspecção, que contribuiu para desenvolver uma atitude mental mais presente e observadora em qualquer situação da vida cotidiana.
O corpo é considerado um caminho, mas o foco do ioga vai além do desenvolvimento físico, para quem o ser humano é um conjunto formado por aspectos físico, mental, emocional, intelectual e espiritual, vivente num ambiente social.
Tudo o que acontece com o físico, atinge os outros aspectos da nossa natureza. O método baseia-se na sabedoria dos antigos mestres yogues que acreditavam ser mais simples e viável promover o desenvolvimento por meio dos aspectos mais densos, palpáveis e visíveis da natureza humana – o corpo, do que tentar atingir os mais sutis e imateriais – a mente e o espírito. “Atuar no conhecido para atingir o desconhecido”.

Mas afinal, o que essa prática tem de tão bom?

  • Reduz o estresse
  • Regula o funcionamento dos sistemas digestório e respiratório
  • Melhora o sono
  • Promove a permanente sensação de bem-estar
  • Equilibra a produção hormonal
  • Fortalece o sistema imunológico
  • Alonga os músculos
  • Melhora a qualidade de vida
  • Aumenta a capacidade de concentração e a criatividade
Mas a prática do ioga merece cuidados. “Quem tem alguma condição especial de saúde, como problemas na coluna, hipertensão, gestação, problemas articulares, deve passar por avaliação antes de iniciar a atividade”, alertam os professores Márcia De Luca, do Ciyma, Centro Integrado de Yoga, Meditação e Ayuverda e Carlos Legal, da Legalas Educação e Qualidade de Vida.
A condição física do aluno também deve ser levada em conta na hora da prática. Isso porque alguns tipos de ioga podem ser mais exigentes fisicamente.
Há diversas linhas e métodos de ioga, com ênfases, abordagens e propostas para diferentes gostos, características e interesses pessoais, mas com um objetivo comum: a harmonia plena.
“A linha que foca a prática dos ásanas é conhecida como Hatha Yoga, sendo a mais popular no ocidente e que visa fortalecer e aprimorar o corpo para que nele habite uma mente harmoniosa” afirma Carlos Legal, consultor, professor de yoga e idealizador do PYT® - Programa de Yoga no Trabalho.
“Todos os métodos contemporâneos de ioga que lidam com o corpo, são originados do Hatha Yoga, diferenciando-se apenas pela forma como as posturas são desenvolvidas, pela intensidade e prioridades” afirma Legal.
Um estudo publicado em fevereiro de 2009 no periódico científico Psycho-Oncology sugere que pacientes com câncer de mama que praticaram 75 minutos de ioga restaurativa – tipo de prática com foco no relaxamento – por dez semanas tiveram redução de 50% na depressão e aumento de 12% em sentimentos de paz depois da prática.

Curiosidades

As gestantes também podem praticar somente após o terceiro mês, desde que liberadas pelo médico. Durante a aula, fazem exercícios respiratórios, de fortalecimento do assoalho pélvico, além de relaxamento, meditação e posturas de equilíbrio.

Ioga no HIAE

Com o objetivo de melhorar a concentração, o equilíbrio e a forma física de seus colaboradores, o Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) promove, desde setembro de 2003, aulas de ioga para médicos, enfermeiros e outros profissionais que trabalham na instituição.
Segundo o coordenador da atividade, Carlos Legal, da empresa Legalas Educação e Qualidade de Vida, os resultados têm sido positivos. "Atualmente, o Einstein tem 3 turmas, que fazem aula durante uma hora, duas vezes por semana. E a atividade acontece no próprio hospital, em uma sala preparada especialmente para a aula", explica.
“Os iniciantes começam com foco no desenvolvimento do prazer e da autoconsciência, com menor permanência nas posturas para se adaptarem ao tipo de prática. Com a utilização de acessórios especiais para prática de ioga, é possível que os exercícios sejam adaptados a sua condição física”, conta Legal, lembrando que as aulas no HIAEbaseiam-se no Hatha Yoga.
O ioga nasceu numa rica e diversificada cultura, na Índia, onde naturalmente, diversas abordagens surgiram em função das características mentais das pessoas que buscavam a integração. Havia a possibilidade de vários caminhos para a integração pessoal e esses caminhos também eram chamados de ioga.
Apenas para efeito de curiosidade do leitor, listamos abaixo alguns tipos de ioga.

Raja Yoga (ioga real)

O ioga, essencialmente, possui um objetivo meditativo e o texto mais importante sobre o tema é conhecido como Yoga Sutras de Patanjali, que surgiu por volta de 260 a.C..
O texto explica as fontes de aflição e sofrimento humano e sugere um método de integração em oito passos (Ashtanga Yoga), para eliminar as aflições mentais que geram sofrimento. Entre esses passos, estão: condutas éticas, condutas íntimas, posturas para meditação, controle respiratório, domínio dos sentidos, concentração, meditação e harmonia plena.

Bhakti Yoga (ioga pela devoção)

Seu foco é a devoção a uma divindade, um santo ou imagens associadas à natureza (sol, lua, rio etc.).
O movimento Hare Krishna, por exemplo, ou qualquer pessoa que tenha fortes características religiosas, representa esse tipo de ioga.

Karma Yoga (ioga pela ação)

A palavra Karma, de origem sânscrita, significa ação. E a toda ação há uma consequência ou resultado. O Karma Iogue é aquele que foca sua prática no cumprimento dos deveres da vida (educar os filhos, trabalhar, amor esposa / esposo, cumprir seus deveres no cotidiano) com total devoção e compromisso, mas sem esperar nada de retorno por sua ação.
Agir sem expectativa pelos frutos da ação é uma maneira de agir com total maestria e qualquer pessoa pode cultivar essa atitude salutar em seu cotidiano. Isso é Karma Yoga.

Jñána Yoga (ioga pelo conhecimento)

A palavra Jnana, que significa conhecimento, caracteriza o tipo de integração por meio do estudo, da erudição. Há pessoas que têm mais facilidade e focam seu desenvolvimento pelo estudo profundo de um determinado tema e esse é o Jnani Iogue.

Mantra Yoga (ioga pelo som)

Mantras são vocábulos que possuem uma representação. É como se fosse uma oração. Em sânscrito, man significa mente e tra significa livrar-se. Desse modo, mantra é uma combinação de sons que livra nossa mente das agitações.
Nas tradições orientais, o mantra mais importante de todos é o Om. Diz-se que foi a vibração e o movimento que engendrou os primeiros ritmos no Cosmos (teoria do Big Bang). A palavra sânscrita AUM (Om) significa “tudo” e transmite o conceito de onisciência, onipresença e onipotência.

Hatha Yoga (ioga pelo físico)

Nessa modalidade o caminho para integração é o corpo. Há ênfase nas técnicas corporais, respiratórias e relaxamento. É correto afirmar que o Hatha Yoga se caracteriza pelo perfeito sincronismo entre “movimento, respiração e foco mental”, onde o corpo é um meio viável para a meditação e integração pessoal.
Atualmente, há diversos métodos contemporâneos baseados no Hatha Yoga. Dos mais conhecidos atualmente, encontram-se:
  • Ashtanga Vinyasa Yoga:
Este sistema, oriundo da região de Mysore, no sul da Índia e ensinado pelo mestre Sri K. Pattabhi Jois (discípulo de Sri. T. Krishnamacharya – foi mestre dos professores mais influentes da atualidade – falecido em 1989 aos 101 anos), está baseado em seis séries de ásanas progressivamente mais exigentes, nas quais cada praticante trabalha em seu próprio ritmo, através de uma técnica chamada vinyasa, que consiste em coordenar o movimento com a respiração.
É uma prática dinâmica e intensa que desenvolve simultaneamente flexibilidade, resistência, força e agilidade, gerando ótimo condicionamento físico, vitalidade e concentração.
O Ashtanga Vinyasa Yoga, de todos os métodos que se conhecem hoje em dia, é o mais exigente fisicamente. Apesar de o termo Ashtanga ser usado para nomear também este método, não deve confundir com Ashtanga Yoga de Patanjali, que trata do sistema filosófico.
  • Iyengar Yoga:
O Iyengar Yoga é um método altamente preciso criado por B.K.S. Iyengar, com base nos ensinamentos do seu mestre, Sri T. Krishnamacharya.
Uma das características mais marcantes deste método é o conceito de alinhamento (tanto físico quanto o alinhamento da ação com o pensamento).
Diferencia-se dos outros métodos pelo cuidadoso detalhamento e adaptabilidade com que os ásanas são conduzidos e executados, buscando uma perfeita adequação anatômica. Neste método, podem-se utilizar acessórios como almofadões, blocos, cintos e pranchas, entre outros, para intensificar ou adaptar os ásanas à condição física e aos objetivos do aluno.
A busca do alinhamento profundo e das ações internas precisas pode comparar-se à tarefa de lapidar um diamante. O mestre B.K.S. Iyengar possui diversos livros publicados e desfruta de reconhecimento mundial.
Consultoria: Legalas Educação e Qualidade de Vida / Carlos Legal